…mais comer, mais amar e mais rezar.

Ainda a respeito do livro, tem um jogo que a personagem vivencia na Itália que se chamaria, caso fosse um jogo: “A palavra”.

Funciona assim: Em uma palavra, o que descreveria a forma de viver, pensar e agir, seja de uma cidade, de uma família ou sua!

A palavra que descreve Roma, ou seja, o que os habitantes estão sempre pensando e agindo, é SEXO. (Piadinhas a parte) Nunca fui a Roma então não posso confirmar, mas segundo a autora é assim mesmo.

Seguem algumas definições dela:

Nápoles: BRIGA

Vaticano: PODER (não se enganem com o superficial, pois nesse caso seria FÉ, mas não é!)

Nova York: CONQUISTAR

Los Angeles: CONSEGUIR

Entrando mais no pessoal, a palavra para a família dela (autora) seria algo como IRREVERENTE e, no ponto onde eu parei, ela ainda não sabe a palavra dela. Ela passa por DEPRESSÃO, BUSCA – que no caso poderia virar facilmente ESCONDER – e DEVOÇÃO.

Daí eu parei para pensar no mais óbvio, Qual seria a palavra que descreve São Paulo?

Qual seria a palavra que descreve minha família? (no caso, minha mãe, pai e irmã)

E por fim, qual seria a palavra que melhor ME descreve?

A primeira ficou bem difícil de responder sem ser parcial. Eu não sou tão apaixonada por São Paulo, acho q a minha paixão por viagem não me deixa ser mais apegada por um lugar do que por mudar de lugar.

A segunda eu achei logo de cara: RESPONSABILIDADE!

E a terceira me leva novamente a uma comparação com o livro. Eu não sei. Não chego a passar por depressão e devoção, mas passo por CURTIR, DESENCANADA, VIAJANTE, entre outras, mas no fundo ainda não acho q elas me descrevam tão bem. Acho que preciso de mais tempo para pensar.

Por pura curiosidade, para você qual a palavra que descreveria os costumes e pensamentos de São Paulo? E da sua família? E a sua? Essa última é mais difícil, mesmo que você não responda, pense e veja se você consegue achar!

5 comments

  1. tudo1pouco-mid · · Reply

    São Paulo: Genteeu amo sampa.. vc sabe q amo. Me vejo viajando o mundo e voltando pra cá… adoros as pessoas que são o que tem de mais legal na cidade. em primeiro lugar, elas são tantas (rs)… em segundo lugar, elas são tão diferentes… da pra ser o que quizer aki… tem sempre uma turminha que parece um pouquinho com vc.Família: casacasa, lar… mimos… com pais loucos e insanos… rs adoro mesmo assim…Eu: Linda!(piada) huahauhavc sabe q eu sou.. rs linda!vc conheçe… rsrsbeijinhos!!!

  2. .polyana. · · Reply

    São Paulo. Eu li esse livro antes de me mudar para São Paulo e já cheguei a conclusão que para mim, a palavra pra SP é: Orgulho. Eu acho que orgulho pode ser bom ou ruim e acho que o paulistano incorpora ambos. O paulistano tem muito orgulho de ser paulistano – muito mais até que o nova iorquino (e olha que o new yorker é orgulhoso pra caramba!) E além disso, cada paulistano tem orgulho de ser do seu bairro, do seu time, do seu trabalho, da sua faculdade, etc. O paulistano também tem orgulho de morar na maior cidade da América Latina, de ser o centro financeiro do país, de ter a melhor faculdade do país aqui, do seu sotaque, e por aí vai… o que é bom pq é bom ter orgulho da sua cidade – mas por outro lado, o Paulistano chega a desprezar e questionar os que não são daqui e outras cidades do país. Acho que de uma certa forma, o paulistano tem razão, tanto que eu me apaixono pela cidade e tudo que ela tem para mim oferecer aos poucos cada dia. Mas chega a um ponto que esse orgulho todo irrita qualquer um, né?! ótimo post gigi, beijos!

  3. Gostei de ORGULHO, e de fato descreve muito bem, vide Mid e eu! Fato, isso irrita, mas é aquela risada que você nem sempre gosta na sua amiga, mas fazer o q, ela ri assim mesmo. É assim quando nosso orgulho irrita, fazer o que, ele é nosso! Otima definição Poly!Mid como sempre não para para pensar mesmo e descobrir seu EU… tsc tsc! =)

  4. Dan Futema · · Reply

    Vou tentar definir utilizando somente uma palavra pra cada.Sampa: Diversidade – Talvez seja por morar aqui, mas não conheço outro lugar com tanta diversidade, cultural. Tantas coisas pra se ver, tantas coisas pra se conhecer. Precisa de muita mais que uma vida pra conhecer cada cantinho de sampa, cada surpresa que se pode encontrar aqui.Família: Saudade – Sinto falta de uma época mais simples que a minha família tinha mais tempo. Menos compromissos. Acho que quando vc é pequeno, você tem menos gente na família (somente os mais próximos) pra dividir seu tempo. Depois sua família aumenta gradativamente (amigos, parentes de amigos, namoros, parentes das namoradas…) e seu tempo pra cada um diminui. Não que isso seja ruim, aprendemos a valorizar cada momento, mesmo que seja rápido.Eu: Construção – Acho que estou em constante construção. Sempre agregando experiencias, vivencias e surpresas. Cada um se reforma a cada dia e cada um ajuda na reforma do outro. Acho que somos todos assim, mudamos nós mesmos e aprendemos conosco, mudamos o próximo e apredemos com ele também, sempre (morremos antes de terminarmos a obra. A perfeição é utópica, mas a busca por ela nos da força pra continuar).

  5. […] foram muitos livros que eu viciei (vide “Comer, Amar e Rezar” que ganhou 2 posts aqui e aqui) e agora é um novo […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: