Começo tropeçando

O primeiro impacto de Singapura foi o jet leg. Eu já sabia que o Hi ia gostar da cidade… ela é verde, grande, moderna… impressionante.

Chegamos e logo pegamos o chofer da Emirates (esse luxo finito) e fomos para “casa”. O prédio é enorme, muitos árabes na piscina, o apê é … não sei… bonito? É grande, e decorado. Acho que não é meu estilo e sou chata com isso… é espaçoso, escuro, confortável, dá vista para um ponto de ônibus em uma avenida. Deu pra perceber que estou intercalando entre reclamar e elogiar? 😀

Fato é que aqui ficaremos por 3 meses e logo nos primeiros dias duas histórias para contar.

1. Eu caí da escada NO PRIMEIRO DIA!

Não foi nada muito grave. Eu digo isso agora, na hora já estava pensando como ia achar um hospital e como iriam me cobrar. Enfim, torci brabo um dos pés… o esquerdo – uma amiga perguntou qual, vai saber. Consegui andar depois de um tempo e é aí que mora o perigo.

– Hi, vamos aproveitar nossa primeira noite e jantar em um restaurante bem legal que eu conheço?

– Vamos!

Pegamos um taxi e lá fomos. Muito bom, se alguém quiser um restaurante com pratinhos pequenos, caros mas EXCELENTES, recomendo o Coriander Leaf.

Apresentei o Hi para os chefs que eu conheci na minha outra viagem, comemos, ficamos felizes e daí eu disse:

– Veja no maps quanto tempo demora para voltarmos andando, tá uma noite ótima. (Vai demorar até meu consciente parar de achar os dias bons, já que não temos dias ruins mais).

– Demora uns 30 minutos. disse ele.

– Bora então.

Entenderam o erro? Já foram mais inteligentes que eu e viram o resultado de caminhada de 30min + pé recém torcido???

Minha primeira noite aqui não poderia ter sido pior, eu acho. Chegando em casa eu não conseguia encostar o pé no travesseiro, quanto mais dormir. Nem o remédio de dormir deu jeito. Eram 4 da manhã e eu estava na segunda temporada de Scandal. Alias, recomendo fortemente, foi a única coisa que distraiu da dor.

Segundo dia em diante foi melhorando.

2. O gato chegou! 😀

A história não é do gato, já que ele chegou bem e feliz… nós mais felizes ainda. Tadico, ele tá ainda assustado com tudo. Mesmo agora depois de alguns dias, ele ainda se esconde embaixo da cama quando ouve a porta abrir.

Voltando a história. Quando o bolinho chegou, a recepção me fez assinar um papel com várias coisas e me explicou que eles iriam colocar uma placa de pet na porta do apê para que o pessoal da limpeza (de novo, luxo finito) entre com cuidado. Por mim, OK.

Placa colocada. 10 min depois. Campainha toca desesperadamente como se tivesse alguém morrendo do lado de fora. Todos nos assustamos, mas especialmente o gato que vai correndo para baixo da cama.

O Hi desce pra ver o que é e eu fico escutando ele conversar com crianças que pedem e insistem em ver o PET que tem no apê.

O Hi fofo, explica:

– Não vai dar, o gato ta dormindo… agora não.

Criança insistente:

– Deixa eu ver vai, só um pouquinho.

– Não ele tá dormindo.

– OK, I come back later.

30 minutos depois a história se repete. Quem me conhece um pouco melhor, sabe que eu não gosto muito de lidar com crianças, ainda mais as que invadem a privacidade dos outros. Eu sei, são crianças, eu sei, elas só estão excitadas para ver o gato, mas não… batedeira na porta e campainha a cada 30 min assustando o bolinho, não!

A pobre última criança não vai bater tão cedo na porta de alguém.

Porta bate insistentemente. Giovanna diz:

– Deixa eu que vou!

Desço as escadas furiosa, abro a porta ARRANCO a maldita placa de Pet in the Apartment e grito:

– NO PET!

Porta bate bem forte! Fim da história.

Explico pra recepcionista o ocorrido ainda irritada e ela se desculpa e diz que vai mandar uma carta para os pais com crianças para que não deixem seus filhos incomodar os outros guests.

Quando eu contei essa história pra minha mãe, eu vi que ela reprovou minha atitude… ela diz que são crianças e que só estão felizes em ver um animalzinho. Eu já acho falta de respeito e má educação, além de quase matar meu gato de susto todas as vezes.

Fato é que agora não temos mais crianças vindo a porta e o pessoal da limpeza vem quando dizemos que podem vir. Final feliz… ou seria começo feliz.

Ainda bem que foi o pé esquerdo que eu torci, pelo menos to entrando com direito várias vezes, já que fiquei saltitando em um pé só na primeira noite!

 

120kg de mala tá bom?


O gato e o apê!

Janta de hoje: Din Tai Fung! Recomendo!!!

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s